Thalles Roberto perde a linha e leva lição de moral de internauta



"Não me segue não!". Ao falar sobre as polêmicas que o cercam, essa foi uma das frases que Thalles Roberto disse para quem o critica.
Segundo o cantor, tudo o que ele faz vira polêmica. A bíblia com suas fotos para incentivar a leitura de jovens. shows em que ele não comparece, que segundo ele são mentiras, e a última, foi do CD romântico voltado para casais.

Se você é evangélico ou católico, clique em curtir 
Boladão pelas notícias de que teria largado o evangelho para seguir música secular (não temos nada a ver com isso kkkkkkkkkk), Thalles pediu para que deixem de curtir e acompanhar sua página ao invés de critica-lo.
O vídeo com a declaração de Thalles foi postado por ele mesmo, em sua fanpage. Como sempre, alguns defendem e outros nem tanto. O primeiro comentário chegou atropelando o cantor e ultrapassou 5 mil curtidas, "Faz assim então, pára de fazer besteira", disse a internauta regina Pereira. Confira o vídeo.





POLÊMICA !!!
Posted by Thalles Roberto on Terça, 26 de maio de 2015

Rede social reune 4 mil evangélicos gays



Estudos indicam o aumento constante de igrejas voltadas para o público LGBT no Brasil e a maior parte delas, oriundas de igrejas evangélicas. Pessoas de diversas denominações compõem o corpo de instituições que acrescentam mais um sobrenome para a palavra "igreja". A Igreja Cristã Contemporânea já atinge mais de 3 mil membros.
Para as denominações do movimento gay, se direcionam pessoas de diversas idades e seguimentos, dentre eles Batista, Assembléia de Deus e inúmeras neo-pentecostais.
Segundo o site da Folha de São Paulo, uma comunidade do Facebook reúne 4 mil pessoas. A página com o nome de "Namoro Evangélico LGBT" já bateu o número de 4 mil membros e tem o intuito de proteger o gays do "mundo lá fora".
Tentamos entrar em contato com a página mas ela não foi encontrada.






Fábio Mazza
fabiomazza.mazza@gmail.com

Catedral anuncia fim da banda



Uma das bandas mais antigas e revolucionárias do meio cristão anunciou o fim de suas atividades.
A banda Catedral, que por muito tempo atuou no meio gospel mas depois desistiu do rótulo para expandir o mercado, chega ao fim após 25 anos de trabalho.
Catedral faz uma despedida com a produção do seu último show. Com o título “Música Inteligente ao Vivo – 25 anos”, o DVD será gravado em Recife (PE) no dia 13 de junho e em Belém (PA) no dia 20 de junho. Em seguida, a banda segue em turnê por algumas cidades do país.
"Tudo um dia tem que acabar e chegou o dia da banda Catedral dar um tchau", disse Kim, vocalista da banda.

Se você é evangélico ou católico, clique em curtir 


Fábio Mazza
fabiomazza.mazza@gmail.com

Hashtag #QueimaUmaBlíblia revolta internautas no Twitter



Uma hashtag causou tumulto na última semana entre cristãos, mais precisamente o povo evangélico. #QueimaUmaBlíblia (escrita errado propositalmente) foi uma das hashtags mais faladas no Twitter.
A ideia foi provar que a maioria dos internautas não presta atenção no que lê. Enquanto muitos defendiam a bíblia, o criador da hashtag explicou que "bliblia" não existe, então nada seria queimado. 
Internautas enfurecidos não perceberam a pegadinha e se sentiram ofendidos, respondendo o post com "sangue no zóio". Teve até versículo pra dar lição de moral.

 “Não entender ou não crer na religião de alguém, tudo bem, agora, desrespeitá-la é horrível… Odiei a tag #QueimaUmaBliblia”.

“Talvez você possa #QueimaUmaBliblia (Queima em vão), mas Jesus disse: ‘Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão".

“Que tag mais imbecil essa #QueimaUmaBliblia. Não sou religioso, mas sou o suficiente sensato para saber que isso é uma babaquice”, disparou um dos usuários que repercutiram a provocação.
Se você é evangélico ou católico, clique em curtir 

Fábio Mazza
fabiomazza.mazza@gmail.com

Pastor anti-gay é flagrado em aplicativo de relacionamento homossexual



Um pastor na cidade de Midland, nos Estados Unidos, costumava dar declarações de repúdio à união homossexual. Conhecido por estabelecer guerra ao casamento gay, certo dia a casa caiu.
Matthew Makela, reverendo de uma igreja tradicional luterana , casado e pai de cinco filhos, largou a igreja que presidia em Michigan após ser flagrado no Grindr, uma espécie de Tinder, só que para encontros destinados exclusivamente ao público LGBT. 
Apesar de ser conhecido como pastor homofóbico, o reverendo tinha seu perfil ativo, procurava parceiros homossexuais, mantinha conversas de cunho pornográfico e postava fotos nu.
Em um de seus comentários públicos, Matthew chegou a comparar homossexualidade com alcoolismo, “Eu amo pessoas que tem atração pelo mesmo sexo, assim como Deus. A prova está no sacrifício que Ele fez por todos nós que pecamos. Nós não dizemos a uma pessoa nascida com tendência a abusar do álcool para continuar a alimentando seus desejos inatos porque ele não pode ajudar nisso. Nós tentamos ajudá-lo em sua luta”, disse.


Se você é evangélico ou católico, clique em curtir 

Fábio Mazza
fabiomazza.mazza@gmail.com